sexta-feira, 18 de março de 2011

YEMANJÁ





YEMANJÁ!
Dia 2 de fevereiro
dia de festa no mar...
                    (Caymmi)
Esse belo e poderoso orixá, muito cultuado na Bahia,tem origem ioruba.
Recebe oferendas rituais em grandes balaios  rústicos,feitos à mão pelo povo,que os enche de flores,perfumes,espelhos,pentes,alfinetes,agulhas,pedaços de seda, talco,colares,brincos,anéis,leques,adereços,sabonetes,pois,a dama é muito  vaidosa e adora pentear seus lindos e longos cabelos,sentada nas pedras,ao luar.
Os ofertantes ,normalmente povo de santo,vestem-se de branco,cantando,embarcam e atiram os presentes num lugar de águas profundas.
Embarcações de todos os feitios e porte singram as águas, num festival de velas brancas,enfunadas ao vento;saveiros e canoas carregados de balaios com presentes rumam ao largo até o ponto onde podem jogar os balaios para que a deusa os recolha.
Os bilhetinhos estão lá,com os pedidos dos fiéis,na esperança de serem atendidos.
Se Yemanjá devolve os presentes –coitado dele –não será atendido, fica prá a próxima,camarada.
Orixá dos marítimos ,protetora das viagens,está ligada,no sincretismo a Afrodite,Nossa Senhora,sendo também padroeira dos amores.
É uma moça de muitos nomes: D. Janaina,Princesa do Mar,Princesa de Aiokácá,Olôxun,  Inaê, Dandalunda,pois não é ela a Senhora das Águas,mãe de tudo que existe sobre a face da terra?
Deus e as águas!  diziam os antigos.Pois,D. Janaina abriu os seus fartos seios e deles nasceu o mar...
Como Afrodite foi pintada saindo de uma concha, esse também  é seu fetiche;suas insígnias,o leque e a espada.
Seus alimentos sagrados são o pombo,o milho,o galo,o bode castrado;as cores vermelho ou azul.
Suas filhas usam colares de contas pingo d’água, pulseiras de alumínio.
Sábado é seu dia sagrado e o grito a que responde  aos seus ekedes  é”hin-hiyemin” ou “odo-yá,dependendo do grupo  pelo qual é saudada.

Muitas vezes se apaixona e leva os amantes para o fundo do mar.O corpo nunca é achado.
“O marinheiro bonito
sereia do mar levou...
Dizem que é  ciumenta,vingativa e cruel;enfim,é mulher...
Yemanjá é festejada também no Rio ,na praia de Copacabana.
Em Angola, ela é Quianda,mora nos arredores da Ilha de Luanda e recebe seus presentes ,alimentos e bebidas,como nos antigos rituais.
Em Salvador, sai da sua casa , a Casa do Peso, no Rio Vermelho,antiga colônia de pescadores,acompanhada de” baianas” (mulheres de saia)  ricamente vestidas de branco,pelos obás, e por toda uma multidão alegre e esperançosa, torcendo para que seus presentes afundem rapidamente,indicando que foram aceitos.
Que Yemanjá , Rainha do Mar,leve  sob grilhões para o fundo do mar,toda a inveja que sobre mim possa recair,todas as lágrimas que eu tenha que chorar,para nunca o desespero ou a desgraça me alcançar...
ODO-YÁ!

*Textos de Miriam Sales
Outros textos e crônicas sobre a Bahia você encontra no livro "A BAHIA DE OUTRORA" À VENDA NESTE BLOG.


2 comentários:

  1. Miriam, um show de história, principalmente pra mim, que pouco entendo desse lado religioso folclórico. Folclórico? Será que estou dizendo alguma heresia? Nisso eu sou perdidona mesmo. rsrs. Amiga, muito obrigada pela postagem da minha poesia! Estar aqui é uma honra! Beijos com o meu carinho!

    ResponderExcluir